Acabamentos geralmente oferecem elegância e beleza aos ambientes, e a escolha do fornecedor adequado para obter esses materiais, é fundamental para a qualidade da obra.
 
A decoração de um ambiente é uma das últimas etapas na construção civil e trata-se de uma etapa crucial, que pode custar em torno de 30% do orçamento de uma obra.

Por isso é importante seguir as normas regulamentadoras e escolher com cuidado os materiais, buscando sempre um equilíbrio entre orçamento e qualidade.

Acabamentos e aplicação de má qualidade geralmente deixam vãos entre os pisos e revestimentos, que quando não limpos corretamente acabam acumulando poeira, restos de materiais, alimentos entre outros detritos.

Alguns ítens são destacados na Norma Regulamentadora:

- Impermeabilidade menor ou igual a 4%: Paredes, pisos e tetos devem ser resistentes à lavagem e ao uso de desinfetantes. Materiais cerâmicos ou não, além do rejunte utilizado, devem seguir esse padrão, sobretudo em áreas críticas que possuem maior risco de infecção, como UTIs;
- Superfícies lisas, sem ranhuras: Superfícies desse formato são chamadas de monolíticas, isto é, não possuem desnivelamentos e evitam problemas com choques, quedas, etc. A extensão do critério é de que o acabamento mantenha essa propriedade mesmo sob limpeza e uso constante;
- Absorventes de luz: Materiais que refletem a luz não trazem conforto e atrapalham na execução das operações internas. Por isso, pisos com cores mais foscas e escuras, são indicados para esses locais;
- Resistência ao choque: Acabamentos que se preservam diante de impactos são recomendáveis, principalmente para áreas com grande circulação de pessoas e equipamentos, como as pinturas epóxi e pisos emborrachados;
- Promovem conforto acústico: Tanto para sistemas internos que produzem som (ar condicionados, tubulações de água) quanto para ruído externos (sirenes, motores de carro), um acabamento que promova conforto sonoro é fundamental. Materiais como lãs de vidro ou espumas de poliuretano, são as mais utilizadas em pisos e paredes para segurar o ímpeto do som.

Com as novas regulamentações, cresceu também a necessidade das empresas em se pensar mais no pós-obra. Os materiais utilizados em todas as etapas das construções precisam cada vez mais de durabilidade, para assegurar um aumento na vida útil das construções.
 
A escolha dos materiais certos durante o acabamento e a efetiva fiscalização no momento da instalação, possuem um papel fundamental nesse aspecto, assegurando o uso eficiente dos insumos e ajudando a evitar acidentes após a entrega das chaves, causados pela má colocação dos acabamentos ou materiais de má qualidade.
 
Em hospitais, os vãos no piso causados por má instalação podem representar um risco a pacientes com mobilidade reduzida, então é preciso planejar, escolher uma matéria prima de qualidade e contratar profissionais especializados para a instalação.
 
Acabamentos de má qualidade geralmente se deterioram e precisam ser trocados gerando resíduos e obrigando a interdição do ambiente em reforma.