O Destino do Lixo - Innova Engenharia Piracicaba
 

Cerca de 80% do lixo diário brasileiro, que chega a 70 milhões de quilos, são despejados em céu aberto, sendo que somente 10% vai para lixões controlados, 9% vai para aterros sanitários e somente 2% é reciclado.

A queima de lixo que é bastante utilizada, é também prejudicial, pois libera gases nocivos à atmosfera, empobrece o solo e desperdiça materiais recicláveis.

Cada tipo de lixo produzido deve ser encaminhado para uma destinação diferente:

Aterros Sanitários:

Nestes locais, o solo é preparado e impermeabilizado para receber o lixo orgânico, que é colocado em camadas intercaladas com terra, evitando assim o mau cheiro, contaminação e a proliferação de insetos e ratos. O processo de decomposição do material orgânico é feito por bactérias anaeróbicas. Como resultado deste processo, ocorre a geração do gás metano, que pode ser descartado (queimado) por saídas específicas, ou utilizado na geração de energia elétrica que ésistema mais adequado.

Compostagem:

Neste processo, o lixo orgânico é transformado em adubo para ser utilizado na agricultura.

Coleta Seletiva e Reciclagem:

A coleta seletiva consiste em separar o lixo orgânico dos materiais recicláveis, que são vendidos ou entregues a empresas ou cooperativas. Desta forma, estes materiais podem voltar à cadeia produtiva, gerando emprego e renda para todos que atuam no processo.

Incineração:

Este sistema é mais usado nos casos de lixo hospitalar ou que possuem algum tipo de contaminação perigosa. É realizado em incineradores apropriados, mantendo toda segurança possível e a fumaça gerada, deve passar por um sistema de filtragem para diminuir ao máximo a poluição do ar.

Tratamentos Especiais:

Existem alguns tipos de lixos que não devem ser misturados com o lixo comum. É o caso das pilhas, baterias, lâmpadas e eletrônicos, que apresentam em sua composição, elementos químicos que podem gerar graves problemas ambientais como a contaminação do solo e da água.